HOMEOPATIA E CARACTERÍSTICAS HOMEOPÁTICAS

HOMEOPATIA E CARACTERÍSTICAS HOMEOPÁTICAS
Rosmeire Paixão é Homeopata Clássica Terapeuta CONAHOM 1274 email: rosmeire.homeopatias@gmail.com

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Homeopatia e a dinamização do medicamento

É importante lembrar que a escala de potências prescritas por Kent, isto é, 30, 200, M, 10M, 50M, 100M, 500M e MM são diferentes da escala LM de Hahnemann. Kent não teve contato com a 6a. edição do Organon e não conheceu as cinquenta-milesimais. 

Após a morte de Hahnemann, cada autor que desenvolvia um método de dinamização procurava também justificativas elaboradas para proteger seu método.

O farmacêutico argentino Arturo Mendez afirmou:

"O sistema não é perfeito do ponto de vista hahnemanniano e não deve ser com ele comparado. Porém, na prática, está demonstrado seu valor terapêutico, através do uso por parte de médicos homeopatas argentinos e brasileiros. A experiência clínica no ser humano deu seu veredicto positivo. O sistema é válido." (Mendez, 1986).


sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Trate a pessoa, não a doença


A doença, embora aparentemente cruel, nos ajuda a aprender lições que precisamos saber. A doença não é punição. Ela tem finalidade de nos dar uma lição e nunca será erradicada até que a lição seja aprendida. Seu objetivo é trazer de volta o estado original de harmonia entre a personalidade e a alma. O fato de um indivíduo ainda ter vida, indica que há esperança
A cura da doença pode ser encontrada descobrindo o errado dentro de nós e erradicando esta falha pelo desenvolvimento pleno da virtude oposta. Não lutando contra o errado, mas permitindo que a virtude oposta inunde o nosso Ser e ilumine a falha de nossa natureza.
Dr. Edward Bach - Heal thyself


Para algumas pessoas ainda é difícil entender como questões emocionais podem interferir realmente na saúde de um indivíduo, e essa falta de noção é mais perigosa do que imaginamos, afinal é por causa dela que deixamos passar algumas questões que, se tratadas, poderiam nos garantir uma vida de melhor qualidade.





É comum que os padrões de reação emocional e somatizações crônicas provoquem alterações crônicas na fisiologia e, em alguns casos, até na anatomia do organismo, produzindo doenças crônicas. Nesses casos, temos certos procedimentos que devem ser feitos para atuarmos de forma realmente curativa.

Uma quantidade enorme de doenças tem bases emocionais, e estas, da mesma forma, produzem alterações fisiológicas que permitem o surgimento de dores, doenças, infecções, etc. 


Por exemplo, a tristeza e/ou a sensação de vulnerabilidade sentidas por uma criança sensível, quando precisa ficar num ambiente desconhecido, longe dos pais, produzem tensões e alterações em seu organismo que podem adoecê-la. E, em muitos desses casos, devido a mudanças nas condições de seus tecidos e órgãos (alterações no pH, no sistema imunológico, na temperatura interna etc), formam-se ambientes favoráveis para o desenvolvimento de agentes patogênicos (vírus, bactérias, fungos). 

Outra questão muito comum: 
As feridas geradas no círculo familiar causam traumas, carências profundas e vazios que nem sempre conseguimos reparar. É preciso buscar a cura para viver um presente pleno e com um futuro sadio. 

Busque um Terapeuta Homeopata para sua avaliação completa

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

PARA A HOMEOPATIA NÃO EXISTEM DOENÇAS, EXISTEM DOENTES..."


Quanto mais elevado for o distúrbio central, maior será a dinamização do medicamento.

Quanto mais próximo chegarmos do remédio exato, mais elevada será a dinamização.
Hahnemann, médico alemão criador a Homeopatia, demonstrou que quanto mais diluído, atenuado e dinamizado se encontra um medicamento, tanto mais eficaz e mais penetrante será sua ação, e que “a quantidade necessária de remédio se acha na razão inversa de sua semelhança com os sintomas do enfermo”. 
Isto é, quanto mais próximo ao número de sintomas apresentados pelo paciente, menor a quantidade (massa) do princípio ativo.

domingo, 15 de outubro de 2017

Estudos em Jundiaí, no interior de São Paulo, a homeopatia foi comparada ao Prozac no tratamento da depressão.

A homeopatia é muito mais eficaz quando é feita de modo individual porque seu foco é o doente, não a doença. 




No SUS de Jundiaí, no interior de São Paulo, a homeopatia foi comparada ao Prozac no tratamento da depressão. Os pacientes que receberam compostos homeopáticos apresentaram melhora semelhante aos tratados com o antidepressivo em oito semanas, sem os temidos efeitos colaterais – como perda de libido, ganho de peso ou insônia. O mais interessante foi que cada paciente recebeu um remédio homeopático diferente. É que, ao prescrever a medicação, o homeopata leva em conta sintomas que a medicina convencional costuma ignorar e os inclui na formulação do composto. “A depressão faz parte de um conjunto alterado de sintomas. Enxaqueca, fadiga, dor e outros sinais acabam influenciando no quadro depressivo”, diz o médico homeopata Ubiratan Adler, que conduziu o estudo.

A maior atenção do homeopata ao paciente é a principal diferença da homeopatia para o modelo médico convencional e suas consultas vapt-vupt. Mas se torna também um problema na hora de desenvolver estudos controlados. “A homeopatia é muito mais eficaz quando é feita de modo individual porque seu foco é o doente, não a doença. Mas os modelos de pesquisa costumam dar um mesmo composto homeopático a um grupo de voluntários indiscriminadamente. Assim, fica bem mais difícil provar a sua eficácia”, diz o pesquisador Marcus Teixeira, da USP.

As longas consultas são um ponto a favor da prática e, em alguns casos, tão ou mais poderosas do que as gotinhas ultradiluídas. Em 2011, homeopatas do Reino Unido concluíram que as consultas, e não os remédios, estavam associados à melhora de pacientes com artrite. O achado faz sentido: quem não se sente melhor depois de ser interrogado e ouvido horas a fio por um médico? A novidade é que esse conhecido efeito placebo das consultas não é trivial. “Os rituais terapêuticos ativam no cérebro as mesmas moléculas acionadas pela maioria das drogas”, disse o cientista Fabrizio Benedetti, que investiga a neurobiologia do efeito placebo, à revista da Universidade Harvard. Logo, a homeopatia também potencializa o poder da crença. Há mais de 200 anos, o criador da homeopatia considerava as idiossincrasias de cada paciente fatores de primeira ordem na prescrição de um tratamento.

Seja como for, é cada vez mais comum ter bons resultados ao se associar a homeopatia com a alopatia. Somados, os benefícios das duas são maiores que o de cada uma sozinha.

Fonte: trecho da matéria publicada na revista super interessante dia 11 out 2017, 16h20

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

AS 25 PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAIS USADAS NO COMBATE A DEPRESSÃO



Quanto mais a estrutura emocional estiver ligada a personalidade, maior o dano.

Os sentimentos não são causas isoladas, são reflexos, formam um conjunto que afetam a estrutura física do indivíduo. Aprendendo mais um pouquinho sobre a forma com que reagimos às estruturas da vida, podemos nos ajudar mais e ajudar os outros. Podemos procurar ajuda mais rápida e mais consciente. 


Independente dos NÍVEIS aqui apresentados, essas são as matérias médicas que mais apresentam grau de depressão em suas personalidades. Quanto mais a estrutura emocional estiver ligada a personalidade, maior o dano. Thuya por exemplo, com seu estado de minusvalia, pode passar a vida toda sem ser percebida e provavelmente poderá morrer de suas deficiências físicas. Arsenicum album não, ele vai enlouquecer primeiro, depois terá transtornos físicos. 
As medicações com nível médio são aquelas que podem desenvolver um campo ou outro primeiro, estão no meio do caminho e possuem as duas tendências – entretanto essa irá se apresentar de forma definida.

NIVEL ALTO DE EFICÁCIA

Arsenicum album - Essa ansiedade é intensa, quase sempre associada ao medo, que é acentuado no início da manhã. Um mau humor ansioso e forte. São ataques de ansiedade e preocupação, o que fazem com que ele pule para fora da cama. Medo terrível da morte. Uma intensa ansiedade que pode ser chamada de agitação, não só do corpo, mas por dentro, nos músculos, nas entranhas. Ele tem um grande desejo de companheirismo. Outras vezes é grande prostração que acompanha o sentimento de culpa.

Aurum metalicum – Pensa em suicídio, é uma Tristeza que dá à noite. Seus pensamentos são tristes e depressivos. Grande sentimento de culpa. É introvertido e fala para si mesmo, não busca ninguém para falar. Frustração. Depressão durante a menstruação e a menopausa. É hipersensível, irritado. Grande desejo de ar fresco. A música é a única coisa que o faz se sentir melhor. Tem certeza que perdeu o carinho de seus amigos. Tem uma enorme, grande tendência ao suicídio.

Aurum muriaticum – Está cansado da vida e chora muito facilmente, aquele choro silencioso. Não consegue estar só. Pensa no suicídio e até fala dele. Sua depressão é profunda. Pensa e tem a sua preocupação voltada para a sua saúde.

Carbo animalis – o estado depressivo que afasta a todos de perto, não quer conversar. Tem desejo de solidão. Chora facilmente. Acredita que todos os sons que ouve, vem de outra dimensão e procura a solidão para entendê-los. Mente confusa e perplexa pela manhã. Uma eterna nostalgia, que não se sabe de que.

Causticum – desde pequeno é triste, melancólico e chora pelas coisas menores, simplesmente não segura as lágrimas. Se sente covarde diante das coisas e é mesmo, ele sabe disso. Desconfia de tudo, se ofende com tudo, sempre descuidado e distraído. Possui uma memória fraca.

Chamomilla – Eis uma boa referencia, Chamomilla tem medo do vento e expressa isso. É inconsolável, não há nada que alguém diga; que poderá alterar seu estado de rigidez. É avesso ou indiferente a qualquer notícia agradável. Os estados melancólicos dessa medicação constituem períodos de completa rigidez.

Helleborus Níger – Outra medicação que expressa a indiferença, só que desta vez é a tudo, notícia boa ou ruim, não importa. São reservados, tristes, melancólicos e nostálgicos. Tem tendência suicida. Seu silencio apresenta traços de desespero, entretanto, isso ocorre por medo da morte ou pela busca de sua cura. Ele sabe que está doente, não reage, desespera. Indeciso sobre tudo. Suspiro involuntário e constante.

Ignatia amara – Eis uma das maiores medicações para doenças de origem emocional, com causas recentes. Como Ignátia não guarda sentimentos por muito tempo, as causas sempre possuem um período curto de no máximo 2 messes. Podem aparecer por imposição de castigos, mortificação, culpa, amor não correspondido ou por contradições e não estabilidade. Seu humor também fica variável – muito – indo do riso a tristeza completa rapidamente. Facilmente chega a histeria e poderá chorar involuntariamente, ou seja, sem se dar conta, o choro vem. Suspiro constante que se dá conta. Assustam-se facilmente. A crise poderá se agravar quando consolada. Após se dar conta do fato que a atingiu, tem a tendência a febre rasa, choro fácil, isolamento e muito sono. 

Lac caninum – expressa ansiedade, se esquece de tudo e sua memória acaba por ser insuficiente. Tem medo de ficar só e grande desejo por companhia constante. Lac apresenta de forma bem marcante, uma tristeza crônica no período da menstruação e é aí que observamos mais de perto a depressão pós parto. Neste período ela pode chorar o tempo todo sem perceber. Tem desejo de morrer.

Lachesis – Está cansada da vida e apresenta apatia em seu trabalho diário. Recusa-se a tomar medicamentos e quando agravado ao próprio tratamento, sempre com lágrimas. Existe uma tristeza que acompanha especialmente as meninas, adolescentes na puberdade e a entrada na menopausa que são visíveis, visto a alegria que esta personalidade apresenta quando está bem. Costuma pensar na morte e falar sobre suas premonições quanto à morte.

Lilium tigrinum – Outra medicação da chamada depressão profunda ou severa, acompanhada de choro e desespero. Acha que sua alma não terá o perdão dos seus pecados e se desespera por isso. Confortá-lo piora tudo. Indiferença real por tudo e por todos. Tem medo de estar só, em qualquer momento ou atividade que faça.

Lycopodium – Sua infelicidade é clara e transparente. Sofre em silencio, seja por mortificação, por choques físicos ou emocionais, excessos sexuais ou por reprimir sua raiva. Quando sua depressão alcança o topo, se torna ditatorial, arrogante e acusa a tudo e a todos ou ao seu alvo de rejeição. Hipersensível a música (emotivo) e a ruídos (receio e desconfiança).

Nitricum acidum: Aqui ocorre o que se pode chamar de delírio irracional ou acesso de fúria, daqueles que acontecem quando se está tudo calmo e tranqüilo, do nada, não existe motivo para tal reação. Essa personalidade pensa no suicídio, mais como morre de medo de morrer, acaba por não cometê-lo. Pensa na morte, tem palpites de como seria morrer, deseja estar morto e isso ocorre ao menor sinal de cansaço e esgotamento. Desenvolve durante este estágio doentio uma hipersensibilidade a todos os barulhos externos e cria falsas impressões de coisas simples como o barulho de uma gota de água caindo ser o motivo de uma dor qualquer que velha a sentir.

Phosphoricum acidum: Seus principais sintomas são decorrentes de desilusões e frustrações, ou seja, distúrbios emocionais. Neste caso podemos classificar: desilusão no relacionamento, antecipação de eventos, restrições sofridas no trabalho ou em casa, mortificação, culpa, amor não correspondido ou mesmo choque. É uma tristeza que não vai embora, uma nostalgia que se prolonga. A grande diferença dessa medicação é que o físico se recente claramente e em conjunto apresenta esgotamento físico, cansaço e esgotamento nervoso, sem forças para manter relações sexuais. Ele não pode pensar em nada, não há interesse nenhum, por nada, nada o motiva depois do que ocorreu. Torna-se comum o estado de estupor grande seguido de desmaios.

Natrum carbonicum: Natrum é deprimido, triste e melancólico por natureza, sempre foi assim, as pessoas o reconhecem assim, entretanto esse quadro se agrava e muito em duas situações claras: 1. Por ouvir música (faz a junção da melodia com o sofrimento), especialmente por piano e 2. Quando muda seus hábitos alimentares. Sempre se coloca em situações de ansiedade e apreensão, mais não sabe lidar com ela. Pode ter acessos de riso e profunda tristeza, ambas seguidas de gritos - ouvido essa músicas ou dormindo. Pensa na morte.

Natrum muriaticum: É espiritualmente afetado por desilusões, por frustrações, por sansões, amor não correspondido, por mortificação, tendo em mente fatos que ocorreram a algum tempo atrás. Não sofre por coisas muito recentes, sempre são conseqüências de algo anterior. Seu sofrimento exprime uma tristeza profunda, um ressentimento que não passa; que é sempre guardado e relembrado. Cobra o que não teve ou o que fizeram com ele, mais não muda de postura em relação aos outros. Prefere estar sozinho e piora muito se consolado ou no meio de outras pessoas. No auge desse estado pode apresentar sonambulismo e profunda prostração física se precisar falar sobre qualquer assunto, mesmo que seja pouco. Nas mulheres esses sintomas pioram muito no período menstrual. 

Natrum sulphuricum: Fala, pensa e apresenta clara tendência ao suicídio. Entretanto internamente tem medo do suicídio, do ato em si. Medo de se ferir. A música também o entristece muito, mais quando está ao ar livre, andando, melhora bastante, se torna mais disposto e menos melancólico. Cheio de manias quando se instala o quadro depressivo. Piora nos períodos chuvosos. Depressão dos usuários de droga e das pessoas que já sofreram algum tipo de lesão cerebral.

Platina: Essa personalidade chora involuntariamente, especialmente nas mulheres em período menstrual. Pensam que estão caindo, saindo fora de uma trajetória reta, que estão sozinhos no mundo. Não suporta companhia e até piora pelo consolo. Tem acessos de riso em momentos sérios e chora nas horas alegres, sentindo profunda tristeza. 

Pulsatilla: não perdem a doçura, a meiguice, a suavidade e nem a timidez, choram copiosamente ao tocarem nos motivos que a fazem sofrer. Se sente profundamente abandonada, desamparada e largada sem consideração. Não há carinho que a console. Tem medo de enlouquecer, por isso, está sempre quieto e retraído. Se sente só no meio da multidão, inconsciência temporária ou não quando está no meio de pessoas acolhedoras ou de situações agradáveis. Entristece em locais fechados. Seus distúrbios são por decepções ou frustrações. Têm certeza de as pessoas (inimigos) que não gostam dela a perseguem, no trabalho, em casa, na rua. Tem visões horríveis ao fechar os olhos, vê figuras demoníacas, fogo e pode chegar ao delírio, gritando involuntariamente quando dorme. Piora depois do meio dia até a noite. Grita, fala, sorri e chora em meio ao sono. Está muito ligada a psicose pós parto.

Rhus tox: Chora involuntariamente e verdadeiramente não sabe por que chora. Piora muito a noite ou quando transpira bastante por algum esforço ou calor. Pensa em suicídio, por afogamento, mais acha que isso não teria não valor ou mérito. Detesta ter que pensar, se cansa de forma desesperada. Sente muitos medos e se atormenta e se cansa por pensar neles.

Sépia: não existe alegria, nem uma sobra de felicidade, tudo é lento e lerdo, não pensa em sexo e nem em amor, foge de carinho. Quando bem, sua capacidade de amar especialmente os membros da família é enorme, quando adoecida sua aversão e indiferença é total, eles simplesmente não existem e não importam. Não consegue conter os gritos, melhora e faz festa em momentos onde ocorrem tempestades. Não tolera carinho e nem consolo. Faz questão de evitar as pessoas. Tudo piora ou se apresenta após uma relação sexual ou depois da metade do dia. Fica confuso e muito irritado sobre qualquer interpelação. Piora muito no frio, tem medo de chegar à noite e ter de dormir ou ter relações sexuais. Desmaia com facilidade. Ocorrem momentos de sudorese profunda com piora do quadro psicológico.

NÍVEL MÉDIO DE EFICÁCIA ESPECÍFICA.

Silícia: seu estado depressivo é nervoso e ocorre mais por motivos relacionados ao trabalho. Está exausto, infeliz e cansado do trabalho e da vida. Pensa em cometer suicídio pulando de um local bem alto. São obcecados por pinos, facas, espinhos, agulhas ou qualquer objeto pontiagudo, ama todos eles e morre de medo também. Costuma ter alucinações com tais objetos. Chora facilmente porque é muito sensível a todas as coisas da vida.

Sulphur: essa medicação pensa em suicídio, pulando de altura determinada, se afogando em lugares distantes ou mesmo lhe dando um tiro na cabeça, mas acham que não tem valor pra isso. Pensa nisso e se entristece especialmente depois que se deita e vai pensar na vida. Está exausto, cansado, infeliz. Piora muito a noite. Recusa-se a tomar banho.


NÍVEL BAIXO DE EFICÁCIA ESPECÍFICA

Thuya: Se sente descartado das situações, jogado fora, a pior de todas as pessoas. Deseja morrer e pensa no assunto. Sempre entediada e sempre cansada. Pode seguir assim por toda a vida, sem ser notada.

Zincum: Melhora considerável do estado depressivo assim que desce sua menstruação. Detesta esforço, não gosta de exercícios de caminhar, correr e de nada que lhe de trabalho e lhe exija esforço. Tem certeza de que sua morte é questão de tempo esse tempo é curto. Pode permanecer assim por anos.


FONTE: http://homeopatiaparamulheres.blogspot.com.br/2011/06/as-25-personalidades-homeopaticas-mais_20.html

sábado, 5 de agosto de 2017

HOMEOPATIA: é necessário uma consulta aberta e franca. Um profissional com capacidade de percepção e como tudo na vida, boa vontade e tranqüilidade.




Quando um homeopata dirige a sua consulta para um maior esclarecimento do que está acontecendo e de como ajudar, proporcionando um tratamento mais inteiro, uma das principais perguntas é: DO QUE VOCÊ TEM MEDO?

A identificação do medo ocupa para a Homeopatia Clássica o carro chefe do descortinamento da deficiência. Sua identificação precisa é um divisor de águas para o homeopata e uma barreira a ser transposta pelo paciente.
E o assunto é vasto. Existem dentro da homeopatia, doze partes bem interessantes que norteiam as bases de uma investigação séria por parte do homeopata. No fundo existem bem mais que doze, mas ficaremos com elas, por terem maior aplicabilidade no dia a dia.







Nem sempre desvendar o medo é fácil, por vezes não sabemos que ele existe ou o subjugamos.










Medo
Possibilidade de medicação/personalidade
Da morte
Acônitum, Phosphorus e Agnus castus, Carcinosinum, Platina, Arsenicum, Gelsemium, Calcária, Lac C.
De ser envenenado
Belladonna, Rhus tox, Lachesi, Hyosciamus e Kalí Brom.
De enlouquecer
Arsenicum, Calcária Carb., Cimicifuga, Iodum, Medorrhinum, Alumina, Pulsatilla
De uma forma geral
Digitalis, Aconitum, Calcarea, Stramonium, Scutellaria, Natrum Ph., Psorinum, Sépia, Ignatia, Zinco ph., Grafites.
De tempestades
Phosphorus, Natrum carb., Rhododendron, Sépia, Thuya..
De morrer sozinho
Arsenicum
De multidões
Aurum met. (antropofobia)
De cachorros
Belladonna, China, Tuberculinum.
Da chuva
Calcárea, Elaps e Rhododendron
De parecer ridículo
Arsenicum, Palladium, Natrum Muriaticum e Calcarea Carb.
De objetos pontegudos
Alumina, Nux Vômica, Silícea.
Do espaço
Arnica, Bryonia e Ignatia.


O medo é um sentimento que proporciona um sinal de alerta. Geralmente as pessoas se sentem ameaçadas de forma psicológica ou física. Quando esse sentimento cresce costumamos nomear de pânico ou pavor. Sabemos da descarga de adrenalina devido a reações físicas, do coração que dispara com aceleração cardíaca e dor tremores involuntários. Esse sentimento descontrolado pode fazer com que a pessoa fique ligada na tomada, atenta a tudo que aconteça a seu redor, pode cair em depressão ou pode simplesmente entrar em pânico. 
Antes do medo temos a ansiedade e depois dele temos a fobia (doença). No caso da ansiedade a antecipação dos fatos esclarece as reações, seja por objetos, pessoas, eventos, lugares, situações e etc.



Quando o medo atinge a vida social do indivíduo de forma restritiva ou quando esse limite é demarcado por sofrimento psicológico (depressão/pânico) está mais que ligado o sistema de alerta.

domingo, 2 de julho de 2017

MISANTROPIA SOCIAL e PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA



O misantropo (indivíduo que pratica a misantropia) é alguém que se sente desconfortável com a vida em sociedade, além de desconfiar e antipatizar com as outras pessoas. A misantropia não está associada diretamente com atitudes extremas de ódio, como o sentimento de extermínio da raça humana, por exemplo. Pode ser reproduzida através de várias formas, sendo a mais comum a introspecção, a timidez ou o comportamento antissocial. 

A depressão, a tristeza e a melancolia são sentimentos que estão associados com a misantropia. No entanto, para os misantropos, essas condições não são consideradas essencialmente negativas. Os misantropos preferem permanecer em um estado de isolamento ou distanciamento social, que pode ser interpretado como um ato depressivo.
Normalmente, um indivíduo começa a dar sinais de misantropia ainda nos primeiros anos de vida. A timidez excessiva, a dificuldade em fazer amizades e o desejo em ficar longe de outras pessoas podem ser alguns sintomas de misantropia na infância. 

A misantropia pode se manifestar em casos extremos, como um conjunto que engloba diversos tipos de intolerâncias dentro grupos sociais ou étnicos específicos, como a misoginia (repulsa e ódio por mulheres), xenofobia (ódio por estrangeiros), homofobia (ódio de homossexuais) e etc. 

Existem alguns medicamentos homeopáticos usados para personalidades diagnosticadas com misantropia social. Hoje em destaque falaremos sobre Ambra grisea.

Ambra grisea - MISANTROPIA SOCIAL - PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA

Muito envergonhado e desajeitado com as coisas, não se encaixa nas turmas, além do que se estiver em companhia de outras pessoas tenta parecer “normal” e acaba por expressar ansiedade, inquietude e medo.
Não suportam estar em sociedade e sofrem por estarem longe dela. Não são bem vindos, são estranhos, então não toleram a sociedade.
Quando a brincadeira passa para a intimidade, aí você conhece quem é essa personalidade, ela se fecha mais que nunca e pode com isso desencadear doenças e manifestações físicas onde o sofrimento e a vergonha ultrapassam o que a maioria das pessoas pode compreender.



Três situações comuns às pessoas quanto aos seus hábitos pessoais e complicadíssimas para um Ambra Grísea:


Urinar,


Evacuar,


Transpirar.

Portanto essa matéria nem evacua e nem urina perto ou na frente de ninguém, é o homem que não vai em banheiros coletivos/masculinos e que não oferecem privacidade. Nem a mulher que entra com uma amiga no banheiro, ela não conseguiria sequer urinar. 

Do mais podemos concluir que: não se apresenta em público, não dá, não consegue se expressar e se alguém faz alguma gracinha, aí acabou de vez, perde a confiança em si e naquela pessoa.
Talvez seu maior medo seja o de ser repreendido e por isso todas coisas são feitas de forma minuciosa e detalhista. Não pode fracassar, isso seria um pesadelo.



“ Dificuldades nos negócios: então perde a confiança em si mesmo, tornando-se envergonhado, evitando as pessoas.” 

Isso significa e nunca mais vai tentar nada parecido, se afasta completamente.


As particularidades dessa personalidade passam por:


1. Desejo imenso de sexo, mas como não se expõe, masturba-se, o sentimento de culpa após o ato é enorme. Esse desejo, a ereção violenta e ou o forte desejo sexual acontece pela manhã.


2. São claustrofóbicos,


3. Sua sensibilidade por ruídos é alta e nesse termo ele encaixa a música. Inclusive ele pode ter até uma crise de tosse sem sentido, só por ouvir música.


4. Chora e sofre por ilusões e odeia por isso também. É um misto de sentimento que traz muita dor e medo.


5. Não se esquece do passado – do ruim, como guardar ofensas e agressões – vale a pena diferenciar de Baryta carb., Gelsemium também é assim e Aluminia não fica atrás – nessa situação. Entretanto se torna extremamente esquecido de outras coisas comuns do dia a dia e isso produzirá a longo prazo um embotamento e uma lentidão cerebral. Ele irá envelhecer rápido, sua expressão física e seu pensamento e comportamento. Irá fazer perguntas e não vai esperar a resposta. Vai balbuciar coisas sem sentido, como se vê em pessoas bem mais velhas, como que recordando sozinha as coisas e discutindo assuntos consigo mesmo.

Assim essa personalidade desenvolve uma indiferença enorme por tudo e por todos. Costuma apresentar uma depressão por falta de reação, por desalento em relação as pessoas e a vida.
Fisicamente as dormências são uma constante, a visão embaçada e a audição prejudicada o afastam mais ainda da sociedade.
Uma curiosidade é o suor pelo corpo que se localiza apenas de um lado. A sensação de frio também.
Detesta gordura, é fã de bebidas quentes e ama sal, claro que um Ambra Grisea terá problemas com a pressão alta.
Sua reação ao ouvir música também é bem diferente, ele sente dor e hiperemia, com coceira continua.
Apresenta um muco cinza sobre a língua, que lhe é característico, assim como o famoso NÒ na garganta.Sua reclamação de dor que nos chama mais a atenção é que ele sente “dor no umbigo” e em torno dele. A constipação de intestino e as hemorragias ao evacuar são comuns, isso devido a vida sedentária que essa personalidade leva. 

A urina pode apresentar sedimentos marrons e pruridos, leucorréias azuis e metrorragia após exercícios físicos ou após um leve toque.

Com tanta fobia, é claro que a relação respiração/tórax/emocional fica comprometida, não é difícil encontrar asmáticos nessa personalidade. São expressões extremamente rígidas. Costuma dizer que tem um tampão no peito. 

Quanto às extremidades, podemos dizer que:

1. Particularidade feminina: varizes azuladas, na perna esquerda e durante a menstruação.

2. Dormência, peso e fraqueza que dão a sensação de paralisar.

3. Inúmeras queixas de dor, peso e pressão sobre os membros inferiores e superiores