HOMEOPATIA E CARACTERÍSTICAS HOMEOPÁTICAS

HOMEOPATIA E CARACTERÍSTICAS HOMEOPÁTICAS
Rosmeire Paixão é Homeopata Clássica Terapeuta CONAHOM 1274 email: rosmeire.homeopatias@gmail.com

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Não tratamos a patologia em si, mas os estados do ser que precisa ser tratado


Na nossa compreensão homeopática, a patologia é apenas uma expressão do estado interno que precisa ser tratado. Então, ficamos voltados completamente àquilo o que é o estado, e é o estado que ė classificado em miasma e reinos. Se tratarmos o estado, então a patologia acaba automaticamente. Portanto, nossa compreensão de doença não é a patologia, mas o estado. A patologia não é absolutamente importante para a classificação do miasma. O estado é o estado de ser interno, a desordem ou tumulto interno, que é expresso na mente, no corpo e nos sintomas. 
Uma pessoa pode ter a patologia do câncer, mas seu estado pode ser sicótico. A forma como se percebe a realidade pode ser completamente sicótica e essa forma pode estar refletida em  uma atitude de aceitar o destino, esconder e acobertar. Sua patologia poderia ser qualquer coisa, mas ela ainda precisaria de um remédio sicótico. O ESTADO determina o MIASMA e não a PATOLOGIA. 
A patologia pode, em alguns casos, corresponder ao miasma, mas ela não é o único critério que serve de base para identificar o miasma ser determinado. 
Por exemplo, uma pessoa com câncer pode precisar de um remédio do miasma do câncer se ela vivenciar a sensação vital nessa profundidade. Porém outra pessoa que também sofra de câncer pode entrar em pânico pela possibilidade de uma morte súbita e se agarrar àqueles que vai deixar e assim, pode precisar de um remédio do miasma agudo em vez de um remédio do miasma cancerínico. O miasma é determinado pela profundidade da experiência e pela atitude do paciente.

*O miasma é a profundidade em que a sensação é vivenciada. Essa profundidade é refletida no grau do desespero e na atitude do paciente.
*O miasma e a sensação são inseparáveis, e os dois são dois aspectos ou qualidades do estado da doença.
*Há apenas um miasma em um dado momento.
*A patologia não determina o miasma.

Fonte: Sensação em Homeopatia de Rajan Sankaran

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

LACHESIS é livre, leve e solta, nem pense em prendê-la, pode destilar veneno... e mortal.




Nem todas as mulheres são lachesis, nem todas devem tomá-lo na menopausa e os homens não estão tão longe assim dessa personalidade. Tudo em Lachesis é estímulo puro. Uma personalidade criativa, intensa, densa, animada, cheia de idéias, bastante comunicativa e muito, mais muito sensual, mesmo quando não quer ser. O amor é a base do combustível para a vida.


O sexo para a personalidade de lachesis é a fonte de vida e de energia. É assim, funciona desse jeito e quando reprimida, esse mecanismo pode se alterar de forma a se tornar violento e extremo.


Caso seu parceiro não acompanhar seus impulsos ou vice e versa, a coisa vai perdendo a motivação, é provável que ela sinta que está sendo desprezada e isso muda seu humor por completo – começa a mania de perseguição. O sexo relaxa para a personalidade lachesis de uma forma extremamente construtiva, não há problema nisso, não há violência no ato sexual, há prazer e muito grande. Isso a move, isso é a energia de que ela tanto precisa. Se estiver tudo bem pra ela, seu parceiro é uma posse e aí tudo bem.


Lachesis (L. Mutus. Lachesis Trigonocephalus.Serpente Surukuku da América do Sul)

Quando Lachesis adoece, usa sua comunicação para envenenar as pessoas e tem um alto poder de sedução ligado a vingança e ao ciúmes. Pode manipular sem problema algum. Fará da vingança um prato que se come frio, de preferência com muito estímulo sexual e sensual, isso será a razão da sua vida. Passa a compor suas idéias de forma ditatorial e egoísta. Pode se tornar agressiva, sarcástica e extremamente crítica, mas nem pense que deixa de pensar em tudo e em todos ao mesmo tempo. Não confia mais em ninguém. Isso altera seu batimento cardíaco e sua temperatura corpórea.
Herda a Psicose - Maníaco-depressiva e a Paranoia, podendo ser confundida com (Hyos, Kali-br,Verat). E é claro que fica deprimida, alguém tão criativo se especializando na destruição não vai ficar bem. Sua pior hora é pela manhã. Quando a situação piora ela chega a acreditar que está sob o comando de pessoas que já morreram ou que falam dela o tempo todo.
Lachesis tem medo da loucura - (Calc, Cann-i, Manc, Puls), entretanto ela não sabe viver de outra forma senão intensamente.

ESSA PERSONALIDADE TENDE A SER DE MUITA SORTE, PODE SE TORNAR UMA PESSOA DE SUCESSO E COM GRANDES CONQUISTAS. O equilíbrio da personalidade Lachesis está ligada ao entendimento da sua sexualidade e da condição de resolvê-la. A paciência e a calma ajudam muito e de pronto podemos evitar a maior fulga dessa personalidade, o alcoolismo.

Fonte: Homeopatas dos pés descalços.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Arsenicum album - Depoimento


JOSÉ CASTELLO, JORNALISTA E ESCRITOR

Sempre fui muito cético em relação à homeopatia. Sempre a associei, admito, mais ao esoterismo do que à medicina. Até que, em torno dos 40 anos de idade, comecei a ter, repentinamente, sucessivas crises de bronquite.

Tive fortes crises bronquite quando menino, em torno dos 8 a 12 anos de idade, mas delas me livrei na pré-adolescência, graças a uma "vacina" (pelo menos assim relatava meu pai) e julguei que a doença nunca mais voltaria. 

Pois, cerca de 30 anos depois, ela voltou. Os médicos a que recorri na ocasião me prescreveram fortes medicamentos, com efeitos colaterais bastante desagradáveis. Tomei-os com todo o rigor. Nenhum deles funcionou. À noite, apesar dos remédios, não conseguia me deitar, pois não podia respirar. Passei várias noites em claro, sentado em uma poltrona, tentando, sem sucesso, dormir. 

Até que, vendo minha exaustão, uma amiga sugeriu que eu procurasse uma médica homeopata, Dra Sheila Maria Franco Costa, que tratara, com sucesso, da bronquite de seu filho. Sem acreditar muito na eficácia do tratamento, ainda muito cético, mas oprimido pela força da doença, marquei a consulta.

Depois de uma cuidadosa conversa de hora e meia, a Dra. Sheila me prescreveu uma dose determinada de Arsenicum Album. Fui à farmácia indicada, encomendei o remédio. Lembro que, ao receber aquela caixinha de papelão, cheia de minúsculos envelopes de Arsenicum, achei tudo muito frágil, muito precário. Desanimado, quase joguei o remédio no lixo. Mas, para minha sorte, resolvi seguir em frente.

Ainda cheio de suspeitas, tomei a primeira dose antes de me deitar. Comecei a noite em minha poltrona. Mas, algumas horas depois, eu já estava na cama, deitado e em sono profundo. A bronquite desapareceu, como que por magia! E não voltou mais. Não preciso dizer que segui o tratamento rigidamente até o fim.

Lembro que comentei minha inacreditável experiência com amigos, e todos falaram de minha vulnerabilidade às influências, de minha ingenuidade e até de minha hipocondria. Ninguém podia acreditar em meu relato, que parecia sempre uma fantasia, ou resultado de algum exagero, ou, pelo menos, de um mal-entendido.

Tratei-me durante muitos anos, sempre com sucesso, com a Dra. Sheila. Só a "abandonei" quando troquei o Rio de Janeiro por Curitiba, onde vivo até hoje. Aqui, já me tratei com dois homeopatas da cidade e nos dois casos fiquei bastante satisfeito. Mas nada se compara à experiência inacreditável que tive com a Dra. Sheila e seu Arsenicum Album.

A propósito: há muitos anos não volto a um homeopata. Está na hora de fazer isso!



segunda-feira, 29 de agosto de 2016

GRIPE + ALERGIA + TOSSE: HOMEOPATIA




Homeopatia pode funcionar de forma eficaz para resolver vários sintomas alérgicos e ainda contribuir para a formação de uma consciência maior em relação ao uso indiscriminado de medicação e assim por diante. Alergias são assunto sério. Nas crises não coma nada e nem tome volumes grandes de líquido. Observe bem sua capacidade respiratória. Não obtendo melhora, procure atendimento específico.

Nos estados alérgicos emergenciais, seguem as seguintes sugestões:

O campeão - Allium cepa acessos de espirro e sensação de ardência no nariz (costuma afetar o lábio superior), melhoram ao ar-livre ou quando molham o rosto com água fria. Serve para reações alérgicas como olhos vermelhos e lacrimejantes.

Ammonium muriaticum nas descargas aquosas que queimam o interior do nariz. O nariz permanece entupido mesmo que haja uma descarga nasal constante. Perde-se o olfato e existe a sensação de cócegas na garganta.

Arsenicum album espirro com ardência nasal e que se sente melhor com compressas de calor nas laterais do nariz e quando respira em um vaporizador. (a sinusite se encaixa muitas vezes aqui) Existe agitação e cansaço. Mãos e pés frios e acorda à noite muito aflita e suada. As alergias podem ser a poeira e a mofo, a pêlo de gatos, a leite, trigo (garganta fétida depois que come pão) ou açúcar. Essa é uma pessoa nervosa.

Calcarea carbônica coriza e suor constante, especialmente na cabeça, pessoas pálidas e sensíveis a correntes de ar. Gânglios inchados e problemas digestivos. Essas pessoas ficam mais lerdas e lentas nos processos alérgicos.

Outro campeão - Euphrasia alergias acompanhadas de conjuntivite. As lágrimas ardem e as descargas nasais não são profusas. Existe uma hipersensibilidade a luz, com dolorimento das vistas.

Hydrastis descarga nasal amarela ou amarelo-esverdeada. Quando o muco forma crostas em volta do nariz. Assim que expelir o catarro ele seca e volta a se formar novamente, espesso e muito. 

Natrum muriaticum existe dor e ardência no nariz e sempre com coriza. O muco é espesso. Quase sempre fere o nariz ou a garganta e costuma respirar pela boca, fazendo com que seus lábios fiquem secos e rachados. 

Pulsatilla essa pessoa não respira bem à noite. Melhora com as janelas abertas e ao ar livre. Pessoas geralmente de pele clara, olhos claros, fisionomia mansa e calma e que modificam muito quando apresentam-se estados alérgicos. Pela manhã nada é irritante e até suave, com muco amarelo claro ou médio, a noite apresenta ressecamento e irritabilidade. 

Outro campeão - Sabadilla espirros com muita descarga nasal, num primeiro momento ela é aquosa e depois espessa. Apresenta uma coceira peculiar no nariz e no palato mole (céu da boca). A exposição a flores, início da primavera, as primeiras chuvas que molham a terra seca muitas vezes aumenta a coceira e os espirros.

Nas alergias que se apresentam com coriza após vacinas, tanto em crianças quanto em idosos ou adultos é bom que se aplique Thuya (dose única). Pessoas com grande sensibilidade a variáveis de corrente de ar frio ou sujeitas a verrugas também devem observar bem essa medicação.


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Doses mínimas e dinamizadas em Homeopatia

 UM DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA HOMEOPATIA












Samuel Hahnemann, no início de suas experiências, usava medicamentos diluídos, porém ainda contendo matéria. Com o tempo foi percebendo que essas diluições ainda eram suficientemente fortes para causarem, às vezes, sérias agravações. Devido a essas reações indesejáveis, passou a diluir cada vez mais os medicamentos, percebendo que obtinha melhores resultados quando eram também agitados. Foi assim que chegou às doses infinitesimais (extremamente diluídas) e dinamizadas. Observou que à medida que a massa ia sendo diluída, mais energia as substâncias pareciam desprender. Não era a quantidade de substância que importava, ao contrário, quanto menor a quantidade presente e quanto mais agitada era a diluição, maior o potencial de energia que atua sobre a Energia Vital. A dose diminuta prescrita pelo homeopata, não é mera diluição ou atenuação da droga forte. Ela é o que se chama potência, isto é, algo que possui poder. As doses mínimas e dinamizadas, que sempre foram e continuam sendo inseparáveis da prática homeopática, tem sido com certeza o maior obstáculo à aceitação e adoção desse método terapêutico com maior amplitude pelos médicos em geral.

Por lidarmos com sintomas subjetivos e com um tipo de energia extremamente sutil, as pesquisas em Homeopatia devem ser realizadas dentro de um novo paradigma, com outros instrumentos de análise dos resultados. 
Conheça mais em nosso site https://abrahcon.com/

quinta-feira, 7 de julho de 2016

A homeopatia pode curar todos?



Na prática, a resposta é "não". Em teoria, a resposta pode ser "SIM", mas depois muitos mais remédios têm de ser descoberto. Isto é assim porque todos os remédios só podem curar a sua própria doença. Esta é a consequência da "lei dos semelhantes", a lei básica da homeopatia. Isso significa que "semelhante cura semelhante".Ou de outro modo referido "um remédio só pode curar o que pode produzir uma toxina", porque cada substância no mundo tem propriedades tóxicas quando tomados em suficiente, isto significa que cada substância é um remédio. Assim, cada planta, cada mineral e cada animal tem propriedades curativas, isso em semelhantes às suas qualidades tóxicas.O desenvolvimento da homeopatia é na descoberta de a cura (e idênticos tóxicos) qualidades dos minerais, vegetais e animais.

Um dos aspectos mais impressionantes da homeopatia é que ele pode curar a doença crônica. Este é um futuro notável em comparação com a medicina normal. Não vemos que os pacientes tem de "viver com a sua doença" e tomar medicamentos para o resto de sua vida. Um bom remédio homeopático cura a doença e não é mais necessário após a cura. Isso permite aos pacientes mais liberdade e independência. Não é só a liberdade de tomar medicamentos, mas a liberdade também é sentida emocionalmente.Isso é o que os pacientes vão dizer depois de uma cura "Sinto-me bem de novo", "Eu sinto meu antigo eu novamente" e "um fardo foi tirado".


É maravilhoso ver uma doença crônica desaparecer, como se ele fosse do nada.Um problema que pareciam insuperáveis ​​antes, tanto para o paciente quanto para o médico, apenas vai embora. E depois, é como se nunca tivesse existido, o paciente pode até esquecer que ele já tinha. É por isso que a medicina convencional muitas vezes nega uma cura homeopática, eles vão dizer que a doença nunca existiu e o diagnóstico era falso ou um erro.

Fonte:http://www.janscholten.com/janscholten/Homeopathy.html






domingo, 3 de julho de 2016

Symphytum officinale possui afinidade por ossos e tendões.


Farmácia homeopática

Symphytum na homeopatia é considerado a 'cola" das fraturas ósseas, porque acelera a cura . É também considerado um anti-inflamatório.

Principais indicações clínicas do Symphytum
Tratamento de traumas e fraturas de ossos e periósteo. É prescrito junto com Calcarea phosphorica no tratamento de fratura óssea para acelerar a consolidação. Deve ser tomado durante a imobilização. É muito efetivo para tratar a dor durante ou após fratura do osso ou periósteo. É recomendado na periostite de atletas e tendinites do tendão de Achiles. É também prescrito para traumatismos do olho causados por um soco, uma bola de tenis etc... Pode ser usado em combinação com Arnica Montana. Eles são complementares em sua indicação clínica. 


Popularmente conhecido como Comfrey.









Consulte um Homeopata para saber qual a melhor dinamização de cada medicamento homeopático.